Big Data no Mercado Financeiro


 

Ter uma grande quantidade de informações sobre milhares de clientes pode não valer nada, caso você não saiba o que fazer com elas. O Big Data, formado por softwares que operam em conjunto, tem a capacidade de analisar e relacionar esses dados traçando perfis de consumo dos clientes, desenvolvendo relatórios que dizem quando, o quê e de que forma esses clientes estão comprando.

Com esse tipo de informações em mãos, as empresas podem realizar ações de marketing que ofereçam o produto ou serviço certo, para a pessoa certa, aumentando consideravelmente seu índice de fechamento de negócios. Isso tudo sem falar no ganho de eficiência, que resulta na diminuição dos custos das operações.

 

O que é o Big Data?

Trata-se de uma tecnologia extraordinária, por meio da qual softwares desenvolvidos para lidar com grandes volumes de dados são capazes de encontrar, analisar e utilizar as informações de forma bastante rápida.

A companhia aérea British Airways tem utilizado o Big Data de um jeito inteligente. Com o uso de um aplicativo, os integrantes da tripulação da companhia não somente sabem o nome de cada passageiro de antemão ao falar a eles, como também recebem notificações sobre passageiros que tenham sofrido algum agravo em um voo anterior, assim, oferecem algum tipo de cortesia no voo subsequente, com o objetivo de fidelizá-lo como cliente.

Além de realizar ações orientadas pelo departamento de marketing, essa tecnologia também é capaz de realizar análises de risco, aumentar a produtividade, cortar gastos e evitar desperdícios.

Muitas empresas financeiras ficam inseguras ao ouvir sobre Big Data, já que, para elas, significa apenas coletar diversos fatos inúteis. Mas as empresas não podem ignorar seus efeitos transformadores. Big Data não baseia-se apenas em coletar dados, mas sim nas análises que os acompanham, bem como sobre o que os bancos e empresas de serviços financeiros estão fazendo com eles.

O uso de Big Data está impactando vários empreendimentos. Ao longo dos últimos anos, empresas do mercado financeiro conseguiram criar rotinas mais eficazes, avaliar com mais velocidade tendências de mercado e rastrear fraudes com maior precisão.

A análise de dados passa a ser vista como uma ferramenta estratégica, tornando a empresa mais preparada para lidar com mudanças no mercado e com os desafios do mundo digital.

 

Como essa tecnologia está impactando o mercado financeiro

No mercado financeiro, Big Data passou a ser utilizado em várias empresas. Do setor de crédito ao de investimentos, a análise de dados reduz fraudes, aumenta lucros e torna serviços mais econômicos. Além disso, registros financeiros passam a ser parte das estratégias de mercado, com empreendimentos conseguindo responder melhor às demandas do mercado.

A avaliação de risco, durante os processos de tomada de crédito, torna-se mais precisa. Avaliando vários fatores (que vão de postagens em redes sociais ao histórico financeiro do cliente), instituições bancárias conseguem identificar fraudes e o perfil econômico de cada consumidor. Como consequência, o portfólio de serviços será mais adequado ao público-alvo do empreendimento.

Empresas de investimento também conseguem se beneficiar do Big Data. Com a avaliação rápida de vários fatores relacionados a situação financeira de uma empresa ou do mercado, o empreendimento consegue identificar quais são as melhores opções de investimento do mercado. Assim, a capacidade de gerar receitas do negócio tornam-se continuamente mais ampla.

 

Como cada vez mais organizações estão olhando para o Big Data a concorrência por Cientistas de Dados no mercado financeiro tem sido cada vez maior. Os bancos possuem petabytes ou zettabytes de dados bancários esperando para serem explorados. As universidades ainda não são capazes de formar profissionais na mesma velocidade de adoção do Big Data e da Ciência de Dados. As instituições financeiras estão investindo em tecnologias de Big Data e Analytics para melhorar o desempenho de seus produtos e serviços, como gestão de portfólio, estratégias de trading, relatórios de regulação e claro, relacionamento com o cliente. À medida que as instituições financeiras começam a colocar os dados no centro do negócio, a contratação de Cientistas de Dados passa ser uma questão crítica. Os Cientistas de Dados serão responsáveis por adotar modelos estatísticos para tonar o uso de ferramentas e tecnologias de Big Data mais efetivos.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn


Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *